quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Viajantes do futuro

Em Administradores - Portal da Administração - 23/04/09

Mapas à mão.


Nokia, Google e Apple apostam na integração entre mobilidade e GeoWeb.

Depois da massificação da navegação veicular, os mapas digitais caem nas graças do usuário, independentemente de estar motorizado. Os telefones celulares, equipados ou não com receptores GPS, são a nova fronteira da GeoWeb.

Talvez nenhuma empresa no mundo tenha investido tanto nos serviços baseados em localização como a Nokia. Lançada no primeiro semestre, a solução Nokia Maps 2.0 colocou a gigante da área de telecom na vanguarda dos mapas para dispositivos móveis. E não parou por aí, nos próximos meses vai lançar uma aplicação que possibilitará a sincronização de informações geográficas registradas em computadores, telefones celulares e na própria internet. O usuário poderá planejar um itinerário em seu computador e transferi-lo - sem fios - para o celular. Outra novidade em teste é o serviço LifeviNe, no qual o viajante pode plotar fotos e vídeos ao longo de seu trajeto, para então compartilhá-los com outros internautas.

O Google, que está em praticamente todas as áreas da Tecnologia da Informação, não poderia ficar de fora desse mercado e já mirou seus esforços na área de mapas para celulares. Com a plataforma Android, o objetivo é aproveitar as informações inseridas pelos próprios usuários para atualizar os mapas.

Ainda em fase de desenvolvimento, através de um concurso que escolherá o melhor software, o Android é ansiosamente esperado tanto por usuários como por desenvolvedores de programas para celulares. Com código aberto, o programa pode ser moldado de acordo com as necessidades do consumidor.

Alguns dos projetos selecionados no Android Developer Challenge integram ao Google Maps e ao Android outras ferramentas baseadas em localização, como o StreetView. Em um aplicativo chamado Wikitude o usuário pode ver uma camada de informação sobreposta à superfície da Terra através da lente de seu celular, como se fosse um filtro de uma realidade paralela.

Com um chip de GPS, o iPhone 3G é a aposta da Apple para tornar-se um dos maiores players mundiais em serviços de localização. O telefone já sai da loja com a capacidade de informar a posição do usuário, além de pontos de interesse próximos. Dentro de alguns meses, a TeleNav promete fornecer um novo software para o iPhone, que incluirá navegação, comandos de voz e mapas 3D.

O que estamos vivenciando é uma nova dimensão da GeoWeb, com os benefícios dos mapas digitais chegando às mãos do cidadão comum.


Geofotos automáticas

Cientistas norte-americanos anunciaram recentemente a criação de uma tecnologia que pode estimar onde uma foto foi feita, através da comparação com outras imagens georreferenciadas por GPS. O sistema é o primeiro no mundo a “enxergar” uma imagem e automaticamente posicioná-la no globo. O segredo por trás do software são as imagens que já têm informação sobre a sua posição, presentes em serviços online como o Flickr, por exemplo.

A Microsoft anunciou no final de agosto um produto similar, resultado do trabalho no laboratório Live Labs. Com o Photosynth os usuários podem criar colagens em 3D de suas fotografias digitais, usando uma tecnologia de reconhecimento de imagens que identifica automaticamente padrões nas fotos e os combina para produzir montagens sobrepostas. Veja mais em http://livelabs.com/photosynth.

Por Eduardo Freitas Oliveira
Editor do portal MundoGEO

Um comentário:

  1. Realmente é uma tecnologia bem útil e que com certeza se tornará popular dentro de pouco tempo. Para quem trabalha com turismo é uma grande oportunidade para profissionalizar a empresa e agregar valor para os clientes.

    ResponderExcluir