sexta-feira, 6 de março de 2009

Controle da Demanda na Empresa Hoteleira

Nas empresas hoteleiras, umas das atividades que apresentam maior complexidade e dificuldade de resolução para a gerência é a demanda. Além de ser vinculada à sazonalidade, em função dos períodos de alta e baixa temporada, a dificuldade de previsão é uma constante. Esta dificuldade ocorre também porque, no ramo hoteleiro, certos produtos e serviços próprios da empresa são altamente perecíveis.

Alguns artifícios que podem ser utilizados para tentar atenuar as adiversidades são: preços, processo de reservas antecipadas, controle de preços em função da demanda, entre outras. Na maioria dos casos a fixação do preço provoca uma situação em que a demanda e os preços são inversamente proporcionais, ou seja, se aumenta o preço, a tendência é diminuir a demanda e viceversa.

O sistema de reserva utilizado por vários hotéis e restaurantes frequentemente exige um monitoramento. Quando acharem que haverá mais demanda do que a capacidade, os gerentes podem conservar a capacidade para os segmentos mais lucrativos. As reservas podem também limitar a demanda permitindo que os gerentes recusem todas as reservas adicionais quando perceberem que ultrapassarão a capacidade do hotel. Deve ser usado uma análise de curva de tendência, visando a fornecer a informação valiosa para o uso na previsão e melhoria na capacidade.

A organização das filas voluntárias, tais como esperas em restaurantes, são comuns e uma maneira eficaz de controlar a demanda. A gerência que controla bem uma fila, ou um processo sequencial de atendimento, pode ainda desenvolver um bom atendimento. Um outro método consiste no deslocamento de certas demandas para banquetes, reuniões etc.

Quando a previsão de negócios analisados, por meio de um estudo de tendência apresentar baixa para períodos futuros, é o momento de intervenção da gerência. Nesse caso, o regente ou diretor de vendas pode focalizar esforços no negócio de curto prazo, como uma tentativa de preencher as vagas previstas e, em alguns casos, faturar para manter as despesas fixas.
Crisóstomo F.R. Hotelaria & Turismo. São Paulo, edi. DCL, 2004.

Nenhum comentário:

Postar um comentário