segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Mercado de Trabalho: O Profissional de Turismo

Uma matéria antiga de 27/11/2001 retirada do site so Jornal Hoje, que nos apresenta um contexto interessante sobre o mercado turístico brasileiro e que ainda vale para nosso tempo atual. Vale apena se informar.

Oito mil quilômetros de praias, florestas, cachoeiras, montanhas... O Brasil é um paraíso para o turismo.
E há muito que ser explorado. Na reportagem de hoje sobre profissões, você vai ver que o profissional de turismo tem um país enorme para ser descoberto e preservado.
Hotéis, restaurantes, agências, eventos, centros culturais... o profissional de turismo atua em todas essas áreas.
"A profissão não está regulamentada, mas o mercado está exigindo um profissional de qualidade”, disse Paulo Mettig, diretor de faculdade do curso de Turismo.
A qualificação vem com a faculdade. No Brasil, cerca de 200 oferecem graduação em turismo. A procura é cada vez maior: 49,3 candidatos/vaga na Fuvest-SP: 49,3 candidatos vão disputar uma vaga no próximo vestibular da Fuvest. O curso dura quatro anos.
Em Santa Catarina, uma escola de turismo funciona dentro de um hotel. Em outra faculdade, foram montados um hotel e uma agência de viagens para as aulas práticas. O turismo emprega 400 mil pessoas no estado.
As regiões sul e sudeste têm o maior número de faculdades de turismo e também de profissionais. É, no entanto, na região nordeste que o mercado está mais promissor. Belas praias, clima bom, construções históricas e uma cultura marcante dão a Bahia, por exemplo, um passaporte para desenvolver o turismo.
Vão à Bahia, por ano, 4 milhões e 200 mil turistas. O estado fatura 1 bilhão de dólares com o setor. E os especialistas garantem: “O Brasil não está utilizando nem 30% do mercado potencial”.
"Temos também Amazonas, Tocantins e outros estados do Norte e Nordeste que estão precisando de profissionais mais qualificados para estruturar um turismo profissional”, disse Paulo Mettig.
O profissional de turismo é quem planeja o que fazer para explorar o potencial de uma área e promover seu desenvolvimento. Precisa ser bem informado, criativo, falar idiomas. A faixa salarial varia de 400 reais a 14 mil.
“Eu pretendo trabalhar com o patrimônio cultural para valorizar o que é nosso”, disse Vanessa Souza, estudante de turismo.
A interpretação do patrimônio é uma das áreas mais promissoras do mercado.
Os formandos sabem disso e desenvolveram um projeto para revitalizar o forte de Mont-Serrat, em Salvador, aproveitando os talentos da comunidade. Foram criados grupos de trabalho voltados para atender turistas.
Ela parece turista... mas não é. Andréia formou-se em turismo em São Paulo. Depois de um estágio, conseguiu um emprego no sul da Bahia. Trabalha com eco-turismo, uma área também em alta.
"Eu agendo os passeios para os hóspedes. é uma agência de passeios que nós temos dentro do hotel”, disse Andréia. “O profissional de turismo trabalha para o lazer dos outros. Mas, em alguns paraísos naturais - não dá para negar - bem que consegue se divertir”.
"Tenho certeza que o ambiente de trabalho é agradável", disse Isaac Soares. (Ele ri e aponta o mar).
Toda semana, no site do Jornal Hoje, teremos após a reportagem sobre profissões, uma entrevista com um profissional da área. A intenção é que você conheça bem cada profissão apresentada.
Roberta Pereira Alonso, 23 anos, trabalha na CIT (Companhia Italiana de Turismo), uma multinacional com sede em Roma, na Itália, com 13 filiais pelo mundo. Ela é a responsável pelo departamento de Incoming, que significa basicamente vender para estrangeiros o destino "Brasil". Estes estrangeiros são basicamente europeus e uma maior parte italianos. Roberta se formou pela Universidade Anhembi Morumbi, em São Paulo.

Jornal Hoje: O que é difícil na profissão de Turismo?

Roberta: O difícil na profissão é conseguir trabalhar com pessoas profissionalizadas e preparadas. O Turismo não é regulamentado o que significa que você não precisa fazer uma faculdade para exercer a profissão. Isso gera uma falta de profissionalismo do staff utilizado e também uma descaracterização do mercado. Basta você analisar, por exemplo, a faixa salarial dos profissionais. Constata-se um valor baixo, independentemente do cargo, se comparado a outras profissões. Isso ocorre por causa da grande oferta de pessoas que se dispõe a entrar na área, fazendo com que os profissionais especializados tenham que aceitar este tipo de oferta e concorrência.

Jornal Hoje:Quais as vantagens da profissão?

Roberta: As vantagens da profissão é a capacidade que os profissionais desenvolvem de lidar com as pessoas tanto clientes, como fornecedores. E a visão abrangente que deve-se ter nesta profissão para poder manter-se, como por exemplo noções de marketing. É bem verdade que geralmente as pessoas acabam por necessidade de trabalho viajando bastante, mas isto não quer dizer que você deva escolher o "Turismo" porque gosta de viajar. A relação viagem e trabalho é bastante diferente do que a maioria das pessoas pensam, essas viagens até bastante freqüentes, não tem nada a ver com fazer turismo mas principalmente com organizá-lo, conhecer serviços e profissionais de cada local onde se visita. Na maioria das viagens, particularmente, conheci as cidades onde estive apenas à noite quando saia para jantar.

Jornal Hoje:Qual o perfil de um profissional de Turismo?

Roberta: O profissional do turismo deve ser uma pessoa acima de tudo dinâmica. O mercado é bastante instável principalmente no país em que vivemos. Isso significa que o profissional deve sempre estar prestando atenção em diferentes tendências e não deve ter medo de mudanças. Deve encará-las como uma constante da profissão, e quem o fizer com certeza será bem sucedido e bem cotado.

Jornal Hoje:Quanto ganha um profissional da área?

Roberta: De R$ 400.00 a R$ 2.000. O salário nesta profissão depende muito da empresa e especialização da pessoa, como (mais uma vez) a profissão não é regulamentada, não tem uma faixa salarial obrigatória o que facilita aos empregadores decidirem sem nenhuma fiscalização o quanto devem pagar a um profissional. Conheço estagiários que ganham R$ 700.00 e também funcionários de empresas grandes que ganham R$ 300.00. Um fator importante nesta área para um aumento de salário é falar outras línguas. Quanto mais melhor!

Jornal Hoje: Qual dica que você dá para quem quer fazer o curso de Turismo?

Roberta: Minha dica é, se prepare bem! A falta de regulamentação atrapalha na maioria das partes relacionadas a profissão, mas sem dúvida ajuda quem está começando. A explicação está em justamente ao entrar na faculdade você já poder estar trabalhando na área, não importa se está no primeiro ou quarto ano. A pessoa já começa a ter visão e noção de mercado, o que ajudará bastante ao colocar no currículo para num futuro próximo conseguir melhores cargos. Particularmente, comecei a trabalhar no primeiro mês do primeiro ano de faculdade e, com certeza, perdi muitas festas, churrascos e "baladas" desta época...Mas por outro lado hoje trabalho numa empresa multinacional, que me proporciona um crescimento e desenvolvimento diferenciados. Além disso, você deve estar sempre disposto a estudar. Se hoje você vende o produto “Brasil” e é um especialista, amanhã poderá vender “Oceania” e deve ser também um especialista. Ou seja, tudo nesta profissão, em especial os destinos, devem ser conhecidos a fundo.

Jornal Hoje: Qual é a área de atuação de um profissional de Turismo?

Roberta: O profissional de Turismo dispõe de um leque bastante abrangente de áreas de atuação. Este profissional pode trabalhar na área de promoção e eventos, agência de turismo, alimentos e bebidas, hotelaria, recreação, entre outras. Com a faculdade de Turismo é possível conhecer um pouco de cada área e depois seguir a intuição e se especializar.

Qual é a tendência do momento?

Roberta: A tendência é trabalhar com o produto “Brasil”. Com certeza, para nós, o momento é estudar sobre o nosso país que possui um pouco de todas as maravilhas do mundo num só lugar. Os últimos acontecimentos fizeram a demanda de passageiros do mercado nacional e internacional (estes ainda com um pouco de receio do país pelas constantes notícias de violência) criarem uma curiosidade grande pelo Brasil. Existe o lado bastante divulgado da violência do Terceiro Mundo, mas todos já estão começando a analisar também as vantagens de preço, belezas naturais e cultura. A tendência do mercado é voltada neste momento para os países que não possuam diferenças raciais, para lugares onde a natureza seja mais rústica, criando um perfil até bucólico do novo "turista". E, principalmente, locais onde se possa relaxar do estresse da rotina diária com um sorriso acolhedor. Para nós ou para "eles" a grande tendência hoje tem 7.408 quilômetros de praias a serem conhecidas.

Se você quiser entrar em contato com a Roberta para algum esclarecimento ou comentário, mande um e-mail: roalonso78@hotmail.com

4 comentários:

  1. Estava sem saber qual o curso escolher na faculdade,mas,como gosto muito da área,decidi ir em frente,bj.

    ResponderExcluir
  2. Uma realidade hoje em dia é o do profissional dinâmico,onde se adapta as mais diversas mudanças de mercado.E sendo nós profissionais do turismo chega a ser quase obrigatório,trabalhamos com bens intangíveis! Gostei da matéria.

    ResponderExcluir
  3. Priscilla Massi (BSB)2/01/2010 3:58 PM

    Gostei bastante da matéria. Sou bacharel a dois anos e ainda encontro dificuldade para achar emprego apesar de ster qualificação e falar inglês. Infelizmente é uma realidade brasileira. No momento estou procurando me especializar, acredito que seja esse o caminho.

    ResponderExcluir
  4. ótima materia ,só achei um pouco desagradavel o salario pois um profisional formado não consegue se manter estavel com 300 a 2000 reais por mes, pois alem de boua aparencia ele tem que se manter atualizado.

    ResponderExcluir