segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Gestor de viagens: uma profissão ainda desconhecida, mas muito promissora e rentável

Duas experiências recentes com o mundo acadêmico associado a turismo, a ECA e a FGV, indicam a enorme distância que existe entre o mundo real e o ensinado nas escolas. Tudo se passa como se as viagens de negócios, apesar de representarem a parte mais significativa em termos de volumes e valores envolvidos do setor, não fizessem parte deste universo. O foco das atenções dos professores e dos futuros profissionais é exclusivamente sobre o turismo tradicional. Ignora-se com isto o papel e as necessidades especificas das empresas neste mercado.
Uma pena, pois o que o Brasil mais precisa é justamente de gestores de viagens – profissionais que sejam capazes de extrapolar o mundo da hotelaria, agências e companhia aérea e entender o processo como um todo – que inclui muito mais que apenas estes três elementos. Desconhecem, por exemplo, a função crescente dos cartões de crédito e o que é GDS, nunca ouviram falar no conceito das TMCs (travel management companies), não têm a menor idéia do que significa o pagamento por fee. Faltam estrategistas e planejadores desta atividade, não por falta de interesse ou capacidade, mas simplesmente por uma miopia coletiva que parece ignorar a direção dos ventos. Desconheço qualquer instituição de ensino – seja ela do campo do turismo ou da administração – que esteja de olho neste enorme potencial de negócios.
Ao mesmo tempo, o que sobra no mercado são profissionais de alto nível preparados para introduzir estes conceitos nas escolas de turismo. São consultores de gestão que hoje atuam em seus campos mas que poderiam transferir para mundo acadêmico seus conhecimentos privilegiados, permitindo a formação de uma mão de obra qualificada e certamente em alta demanda.
Um bom exemplo vem do pioneiro consultor Samir Andraos, que anuncia um curso no centro universitário Senac voltado à Gestão de Viagens Corporativas. O programa tem por foco o gerenciamento estratégico dos processos, e se destina principalmente aos profissionais que atuam nas áreas de administração, RH e finanças. Através de uma boa gestão dos recursos internos e externos da organização, é possível reduzir custos em até 15%, explica Andraos. Ele sabe o que diz. Samir atua na área de comunicações, marketing e serviços financeiros há mais de 25 anos. Já trabalhou para Varig, e ocupou cargos executivos em empresas tais como a Motorola Communications, Philip Morris e American Express no Brasil e no Canadá. O curso, que tem duração de 52 horas, está com inscrições abertas até 24 de outubro. Mais informações no site www.sp.senac.br. Espera-se que o exemplo do Senac sirva de inspiração para outras instituições de ensino. As empresas e o mercado brasileiro, desde já, agradecem penhoradamente.

Por Fabio Steinberg - 13/10/2008 - Viajeaqui Abril.

Nenhum comentário:

Postar um comentário